23 de janeiro de 2012

A arte de ser alguém único em meio a tantos "eus" dá-se o nome de Autenticidade.


A pessoa autentica é aquela que não faz "tipo", que não finge ser quem não é, que não vive de aparências, que tem personalidade, princípios, valores, que é unica, singular.

Eu não vou fazer porque todo mundo faz, afinal eu não fui fabricada em serie.
Sou única e isso me garante o direito de escolher o que é melhor para mim.

Eu não quero só porque a sociedade diz que é "normal" querer... Eu não sou normal só porque tenho as minhas próprias opiniões? Só porque eu tenho meu estilo e jeito próprio?
E você realmente se acha uma pessoa normal?
O que é ser uma pessoa normal? Ser normal é ser obrigada a gostar do que todo mundo gosta e fazer o que todo mundo faz pois nos foi dito que deve ser assim?
Não!!! Não é assim, não tem que ser assim somos todos diferentes ninguém e obrigada a ser igual a ninguém!!!
Qual é a graça de vestir as mesmas roupas, ouvir as mesmas musicas ou fazer as mesmas coisas só porque esta na moda ou a sociedade nos impõe que deve ser assim?
Qual é a graça de ser influenciada? Qual a graça de ter as mesmas opiniões de todo mundo?

Quero chegar a frente e ver minha própria imagem, o reflexo do que sou, do que fui e do que serei...

Não vou mudar o meu modo de pensar e agir só porque os outros me acham diferente.
Não sou moldada pelo que os padrões dita como certo ou errado, tenho atitude e penso com minha cabeça, tenho estilo próprio por que um dos maiores erros do ser humano actual e tentar se enquadrar nos padrões previstos pela sociedade.

Infelizmente existem muitas pessoas que confundem autenticidade com "esquisitice" grosseria e até falta de educação... Desculpe mas eu tenho opinião e sou FELIZ sendo assim!!!

Sou o que sou, o que me faz bem ser e não o que querem que eu seja...

Vamos viver a liberdade de sermos nós mesmos, mesmo que por causa disso sejamos considerados estranhos, esquisitos, loucos... O importante é ser feliz!!!

"Para assumir o próprio contentamento é preciso parar de viver conforme os ideais da sociedade "

20 de janeiro de 2012

Meus cachorros: Meg e Totó


Essa é a minha menininha: a "Meg"


A Meg tem cinco anos e foi adotada quando tinha apenas dois messes.  
Ela foi abandonada na minha rua e quando vimos aquela filhotinha tão pequena e indefesa resolvemos adota-lá...


...A Meg é a mimadinha da casa. Tem o temperamento um pouco difícil, é muito carinhosa e também muito bravinha e ciumenta.  Adora brincar com seus brinquedinhos, é esperta, presta atenção em tudo!


Este é o meu meninão: o "Totó" 


O Totó era do meu vizinho mais vivia abandonado na rua sem comida, sem água, debaixo de sol e chuva. Todo dia eu levava comida e água para ele na rua, o abrigava em minha casa quando chovia, dava a atenção e o carinho que ele não recebia de seu antigo dono.  Eu havia acabado de perder meu cachorro (o Fofo) e fui me afeiçoando ao Totó. Aos poucos ele foi ficando em minha casa... foi ficando... até que acabou ficando de vez.  Vai fazer um ano que ele foi  adotado, E agora faz parte da família.  


 O Totó é muito carinhoso, companheiro, dócil e adora brincar!


Esses cãezinhos trazem muita alegria para minha casa.  Fazem parte da família...  São o xodó da casa, tratados com muito carinho por mim e por minha família. 

15 de janeiro de 2012

La vida es sueno...


Para os que assim como eu gostam de textos em espanhol estou postando um trecho do texto da peça de teatro "la vida es sueno" de autoria do dramaturgo e poeta espanhol Pedro Calderón de la Barca.

Esta obra narra as aventuras de Segismundo, filho renegado de Basílio, rei da Polônia.
O príncipe Segismundo vive desde a infância em uma prisão escura, tendo sido ali colocado por seus pais em virtude de uma profecia que dizia que ele, chegando à idade adulta, traria grandes desgraças ao reino.
 Seu único contato com o mundo externo é Clotaldo, seu guardião e fiel servo do rei.
Muitos anos depois, o rei arrepende-se e começa a pensar se havia agido corretamente aprisionando o filho daquele modo. Então arrependido manda retirá-lo da prisão e, ao acordar daquele sono estranho Segismundo se vê no palácio real, bem vestido e cheio de jóias. Dizem-lhe que ele é príncipe, e que tudo aquilo que lhe havia acontecido antes teria sido apenas um sonho...
Segismundo, de acordo com a profecia, começa a cometer os desatinos que haviam sido profetizado. Sem conseguir suportar seus desmandos e loucuras, o rei faz a operação inversa: despe-o das roupas caras e das jóias e o aprisiona novamente no escuro calabouço.
Ao acordar, dentro do calabouço, Segismundo se lamenta, preso entre o sonho e a realidade...


Es verdad; pues reprimamos
esta fiera condición,
esta furia, esta ambición,
por si alguna vez soñamos;
y sí haremos, pues estamos
en mundo tan singular,
que el vivir sólo es soñar;
y la experiencia me enseña
que el hombre que vive sueña
lo que es hasta despertar.
Sueña el rey que es rey, y vive
con este engaño mandando,
disponiendo y gobernando;
y este aplauso que recibe
prestado, en el viento se escribe;
y en cenizas le convierte
la muerte (¡desdicha fuerte!):
¿que hay quien intente reinar
viendo que ha de despertar
en el sueño de la muerte?
Sueña el rico en su riqueza,
que más cuidados le ofrece;
sueña el pobre que padece
su miseria y su pobreza;
sueña el que a medrar empieza,
sueña el que afana y pretende,
sueña el que agravia y ofende,
y en el mundo, en conclusión,
todos sueñan lo que son,
aunque ninguno lo entiende.
Yo sueño que estoy aquí
destas prisiones cargado,
y soñé que en otro estado
más lisonjero me vi.
Un frenesí.
¿Qué es la vida? Una ilusión,
una sombra, una ficción,
y el mayor bien es pequeño;
que toda la vida es sueño,
y los sueños, sueños son.

As concepções de La Vida es sueño são bastante antigas, existem referências no penamento hindu, na mística persa, e na oral budista, assim como tradição judaico-cristã e na filosofia grega. Segundo Platão, o homem vive em um mundo de sonhos, de escuridão, cativo em uma cova da qual só poderá se libertar tendendo para o bem. Unicamente deste modo, o homem deixará a matéria e chegará até a luz.
A influência desta concepção neste título é evidente, o personagem Segismundo vive no princípio dentro de um cárcere, no qual permanece na mais completa escuridão pelo desconhecimento de si mesmo, e somente quando é capaz de ter conhecimento de quem realmente é, alcança o triunfo da luz.


Gosto desse texto que descreve com sonoridade poética os sonhos e a importância do auto conhecimento e da pratica do bem para que se possa alcançar a luz.

Afinal o que é a vida?  A vida é sonho! E se a vida é sonho, sonhemos então!

7 de janeiro de 2012

A mitologia da Fênix.



A fênix possuía uma parte da plumagem feita de ouro e a outra colorida de um vermelho incomparável, a isso ainda se aliava uma longevidade jamais vista em nenhum outro animal. Seu habitat eram os desertos escaldantes da Arábia, o que justificava sua fama de quase nunca ter sido vista por ninguém.
Quando a fênix percebia que sua vida secular estava chegando ao fim, fazia um ninho com ervas aromáticas, que entravam em combustão ao ser exposto aos raios do sol...
Em seguida, a fênix atirava-se em meio às chamas para ser consumida até quase não deixar vestígios, sobrando apenas as cinzas...
Das cinzas que sobrava dos restos mortais da fênix surgia uma espécie de verme que se desenvolvia milagrosamente de maneira rápida para se transformar em uma nova fênix, idêntica a que havia morrido.
Essa ave lendária figura na mitologia de vários povos antigos, tais como gregos, egípcios e chineses. Em todas essas civilizações seu mito preserva o mesmo significado simbólico: o renascer das próprias cinzas!!!

Renascer significa: nascer de novo, recomeçar, recuperar forças, reviver, reanimar-se.

Algumas vezes em nossas vidas assim como a fênix precisamos renascer de nossas próprias cinzas... Quem nunca passou por um momento difícil em que tudo parecia estar arruinado e de repente surge uma força que vem da alma e nos faz recomeçar tudo novo? Essa é a essência do renascer das próprias cinzas... Devemos passar pelo fogo e sairmos dele fortalecidos, renovados e renascidos!!!
.


Feliz ano novo!!! Feliz 2012!!!



Soneto de Início:
E é mais um recomeço,
Mais um início de estação,
Mais um calor de verão.
Apenas o começo de uma nova invenção.


Como a aurora que surge, 
Novos desejos nos iludem,
Nos acometem, nos enlouquecem...
Como outrora, agora.


E vai passar, saudade deixará
E o que era novo, perceberemos...
Não passa apenas de mais um ciclo.


Reinventado e imutável,
Repetindo frases, quereres,,,
Recomeçando o mesmo começo.


Que em 2012 tenhamos mais motivos para sonhar e saúde,  força, determinação e sabedoria para realizar nossos sonhos!!!
Desejo um 2012 de muita saúde, paz, equilíbrio, felicidade, prosperidade, realizações e de muita luz!




Feliz 2012!!!